top of page
Buscar

CURSO ONLINE DE ORIENTAÇÃO E MOBILIDADE PARA INVISUAIS E NORMOVISUAIS

CURSO ONLINE DE ORIENTAÇÃO E MOBILIDADE

PARA INVISUAIS E NORMOVISUAIS

1º Ciclo de Formação

10 e 11 de março de 2017

Castelo de Vide – Portugal

O projeto de sensibilização aos problemas de Orientação e Mobilidade (OM) com formação a distância, de um primeiro módulo com conteúdos que pretendem dar a conhecer:

“Técnicas e processos de ensino de OM básica no interior da área da escola e da residência”,

a partir da Fundação Nossa Senhora da Esperança em Castelo de Vide para formandos que se encontram em Cabo Verde, obrigam-nos a um plano detalhado para um melhor conhecimento das ações a realizar. Assim:

Pré requisitos:

Os formandos deverão ser pessoas que trabalham preferencialmente com crianças com deficiência visual, ou que pretendam aprender a lidar com as mesmas.

Porque é um trabalho a distância e como envolve parte prática de olhos vendados, (em que uma pessoa faz de guia à que segue de olhos vendados), solicita-se que os formandos em cada uma das unidades não ultrapassem o número de 12. Constitui-se-ão duas equipas de 6 (com 3 pares) que aquando da prática a realizar, procurarão dois espaços diferentes para mais facilmente se movimentarem.

Solicita-se igualmente, que em cada unidade a funcionar em cada uma das ilhas que se associar a esta formação, haja um coordenador/ monitor/interlocutor (de preferência alguém que já tenha sido sensibilizado para estas técnicas) que possibilite a realização coordenada da técnica ensinada a partir de Castelo de Vide e que igualmente coordene o diálogo, as questões e dúvidas que pretendam colocar no final de aprendizagem de cada uma das técnicas.

Porque a marcha de olhos vendados obriga a algumas precauções, lembra-se de que, deverão usar sapatos confortáveis para a marcha (evitar saltos altos e chinelos com dedos de fora); sem anéis e relógios (no caso de ser impossível, rodá-los para dentro, porque assim não contactam tanto com as superfícies exteriores).

Cada pessoa deverá munir-se de uma venda (sleep mask), que tradicionalmente encontramos nas agências de aviação e que gentilmente nos teem oferecido. Já fizemos um mail para a delegação da TAP lembrando que haveria necessidade deste material mas ainda não obtivemos resposta. No entanto, as lojas chinesas costumam possuir este material. Em alternativa, um lenço de cabeça de tecido leve para apertar à roda da cabeça.

Porque, aquando da realização das práticas, os formandos costumam ter necessidade de consultar os apontamentos para uma mais correta execução das mesmas, aconselhamos que esses apontamentos sejam feitos num pequeno bloco notas transportável no bolso, o que permite caminhar com as mãos livres.

Os espaços ideais para a realização, são os seguintes: a sala de conferência onde estarão sentados, um espaço exterior ou interior amplo, livre de objetos, para aprendizagem das primeiras técnicas de adaptação às vendas; um espaço com uma cadeira e posteriormente com duas filas de 5 cadeiras para simbolizar um auditório; corredor com portas; escadas com degraus regulares; salas para exploração. Se não for possível arranjar estes espaços a multiplicar por 2 (2 grupos de 6) há que adaptar e arranjar a melhor solução para o problema.

Metodologia: A apresentação dos conteúdos no decorrer da emissão online, ocorrerá não só numa base expositiva, mas será, sempre que possível, acompanhada com textos complementares da informação ministrada e atividades práticas em Orientação & Mobilidade em suporte vídeo.

O programa de formação terá 8 horas a cargo do prof. Júlio Damas Paiva e consistirá muito especialmente na prática das mesmas ações que o aluno com Deficiência Visual (DV) terá de realizar, obrigando o formando a vendar os seus olhos para simular a situação de aluno, enquanto o seu colega lhe transmite as situações de aprendizagem, utilizando dominantemente o seu corpo nas situações da área da escola e residência do aluno.

Em termos pedagógicos, as estratégias selecionadas para este estudo assentam no pressuposto de que o docente de educação especial é um mediador da aprendizagem do aluno. No desenrolar deste processo de ensino-aprendizagem considera-se fundamental que os formandos conheçam e desenvolvam os conteúdos programáticos através da aplicação dos modelos de observação e de avaliação.

As duas horas finais com conteúdos relacionados com a caracterização da DV, desenvolvimento sensorial e formas de comunicação, serão dadas pelo Professor Doutor Augusto Deodato Guerreiro.

Para simplificar e melhor enquadrar no tempo e como temos um conjunto de 16 itens, dividimos 2 itens por cada 50 minutos (10 para intervalo) com a seguinte forma:

15minutos para emissão de 2 técnicas; 20 minutos para execução prática nos locais; 15minutos para interacção.

Técnicas básicas de guia:

1.

Apresentação. Caracterização da DV e da OM (breve história)

Caminhar com guia- rodar

(Local: exterior ou interior amplo; Material: vendas)

2.

Frente a frente – (mudança de direção - face a face)

Passagens estreitas

(Local; corredor e para a passagem estreita, procurar local onde só passe uma pessoa; Material: vendas)

3.

Troca de braço – (troca de lado)

Sentar – Localização de cadeiras

Local: Corredor ou sala; Material: uma cadeira e depois 2 filas de 5 cadeiras ou auditório, vendas

4.

Passagem de portas

Subir e descer escadas

Aceitação e recusa de ajuda

Local: corredor e escadas; Material: vendas

Técnicas de proteção:

5.

Proteção superior

Proteção inferior

Local: Corredor ou sala com duas paredes frente a frente livres: Material: vendas

6.

Caminhar com proteção

Deslizar com a mão pela parede e objetos

Local: Corredor com portas; Material: vendas

7.

Alinhamento e enquadramento

Localização de objetos caídos

Local: Sala com mesa e espaço largo (átrio ou sala ou corredor); Material: Molhos de chaves, moedas, vendas

8.

Localização de objetivos

Exploração de salas e edifícios

Método para cumprimentar pessoas

Local: Corredores, salas simples com pouco objetos; Material: vendas.

Os conteúdos teóricos sobre OM que fazem parte do programa, serão dados em ocasiões que se enquadrem com o diálogo resultante das práticas.

Castelo de Vide, 28 de Fevereiro de 2017

Formadores:

Prof. Júlio Damas Paiva

Professor Doutor Deodato Guerreiro


10 visualizações0 comentário
bottom of page